PNL

Artigos

Entrevista ao jornal periódico da APCD (Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas)

COMO MANTER UMA MENTE SAUDÁVEL

1.    De uma forma resumida, mas neurocientificamente falando, de que forma o cérebro humano funciona?

Muito se poderia dizer aqui, mas de forma resumida, o que nos interessa, do ponto de vista de uma mente saudável é que o cérebro humano tem dois hemisférios: o direito e o esquerdo. Este é o dominante em 98% dos humanos. É responsável pelo pensamento lógico e a competência comunicativa. O hemisfério direito é responsável pelo pensamento simbólico e criatividade, e é chamado também de intuitivo.

As conexões básicas da emoção são aperfeiçoamento que levou milhões de anos para chegar ao estágio atual.  Durante um milhão de anos elas foram suficientes, acompanharam bem o surgimento da civilização e seu progresso.  Hoje, com a complexidade da vida somos chamados a resolver problemas contemporâneos com um repertório neurológico e mental não adequado para as urgências e desafios que se nos apresentam.  Além dos dois hemisférios cerebrais, temos também duas mentes: a emocional e a racional.

A mente emocional é impulsiva, nem sempre lógica.  A racional é mais consciente, capaz de refletir e de ponderar, e a sua demora em agir faz com que, às vezes, a pessoa aja sob o comando da emoção.  Essas duas mentes têm circuitos diferentes no cérebro, sendo certo que o circuito emocional é mais curto e, por isso mesmo, mais rápido.

2.    Baseado no que se sabe sobre o cérebro humano, como é possível mantê-lo saudável?

Se você ou alguém está sob forte emoção, pode tomar decisões chamadas irracionais e isso normalmente causa conflitos internos ou consequências desagradáveis ou desastrosas para você e para outras pessoas. O segredo é alfabetizar-se emocionalmente, ter competência emocional, saber afastar-se emocionalmente das situações para poder gerenciar melhor o momento e assim trazer as melhores ou mais eficazes soluções para cada situação.

Sem esta habilidade fica difícil enfrentar os desafios da velocidade da comunicação, o choque das mudanças, e de se adaptar à realidade frenética à qual estamos permanentemente submetidos.

Sendo a vida cada vez mais desafiante, cheia de mudanças rápidas, precisamos investir cada vez mais no reconhecimento de nossas emoções, para termos controle dos nossos sentimentos, o que leva à paz e a ações mais racionais e menos desgastantes.

3.    Quais fatores influenciam para um cérebro com problemas psíquicos (transtornos, manias, obsessões, etc…)?

Dentre muitos podemos citar alguns, como:
·         Falta de amor ao próximo como a si mesmo;
·         Medos: de errar, de não agradar, de não conseguir, de não ser amado, de se relacionar com os outros, de ser rejeitado e outros;
·         Ausência de carinho físico, atenção, respeito, apoio, e limites aos filhos e às crianças em geral;
·         Desrespeito, não ouvir com atenção, não se colocar no lugar do outro, para perceber o ponto de vista dele;
·         Impaciência, humilhar ou atacar, provocar revolta, resistência e contra-ataque;
·         Desqualificar a pessoa em vez de atacar os problemas ou situações que ela causa;
·         Autoritarismo, inclusive e principalmente na relação com os filhos;
·         Não saber dizer “não”, nem estabelecer limites claros, para os filhos e para pessoas com quem você convive ou lidera.
·         Falta de entender como funciona sua estrutura subjetiva e falta de ferramentas eficazes e adequadas para modificá-la.
·         Baixa autoestima ou bases não consistentes para esta autoestima.
·         Crenças limitantes sobre si mesmo e sobre as possibilidades da vida.
·         Vida sedentária, falta de exercício físico, pouca habilidade de relacionamento interpessoal.
·         Uso de drogas líticas ou ilícitas, substituindo os valores fundamentais do ser humano, que são a base da motivação.
·         Influência do prazer digital (vivem-se todos os prazeres em pouco tempo), sem conquista, nem desafio. A vida deve ser vivida mais analogicamente.
·         Não tolerar as diferenças, não aprender a aceitar que outros pensem e ajam de modo diferente do seu ou do que você deseja.
·         Uso da Egonomia (lei do EU) de forma exacerbada.
·         Falta de identidade pessoal e de sentido de missão.
·         Abandono da espiritualidade como forma de conexão com os outros e com o universo.
·         Falta de entender que a vida é cíclica e probabilística e que é necessário se preparar para viver os novos ciclos de mudança.

4.    Fiquei à vontade para tecer mais comentários sobre o assunto.
Como manter uma mente saudável?

Desenvolva o primeiro nível da comunicação, que é a Comunicação Intrapessoal, ou seja, saiba comunicar-se consigo mesmo, com seu corpo, com seu consciente e com o seu inconsciente.
Faça com que os outros saibam o que você defende, onde se coloca e como responde por você mesmo.
Medite mais, dance consigo mesmo, seja mais responsável e disciplinado.
Seja atento para o que tem dentro de si: amor, reconhecimento, gratidão, aceitação, valorização, consideração.
Desenvolva a capacidade de dar e receber, como também aumente o seu sentido de pertença e compromisso com as pessoas e a coletividade.
Decrete sua independência, sabendo expressar seu amor, sua excelência, sua sabedoria, dedique-se ao que traz resultados para você.
Aumente sua percepção e isso traz discernimento e uma visão maior da própria vida e das possibilidades que a vida e o mundo lhe oferecem. Assim você criará escolhas, desenvolvendo a habilidade de solucionar seus problemas de formas variadas e sem ser pressionado por situações limitantes.

Quer ter uma mente saudável? Esteja aberto aos resultados e não preso aos erros. Estando aberto aos resultados você adquire sabedoria, que dá a você a clareza necessária, a objetividade diante das situações, a sabedoria quando aparece o conflito e o desapego aos hábitos improdutivos.

Dicas práticas para desenvolver uma mente saudável:
1.       Medite pelo menos quinze minutos por dia, no silêncio, para ouvir sua sabedoria.
2.       Crie um momento diário para desenvolver sua intuição.
3.       De vez em quando passe um considerável tempo sozinho, em contato com a natureza, visualizando o futuro e trabalhando suas emoções, para realizar o que quiser na vida.
4.       Três ou quatro vezes por ano reveja seus objetivos, e a forma como eles ajudam na continuidade do seu ideal de vida.
5.       Conte suas histórias de sucesso: para quem você ama, para outras pessoas, para você mesmo.
6.       Viva o amor: de companheiro ou de amante, de pai ou filho, de colega ou amigo, de mestre ou aluno, de terapeuta ou cliente, de você para você, incondicional ou espiritual.
7.       Abra os braços aos outros, endureça-se menos e suavize mais, entre no momento transcendente, experimente o divino, expresse seu ser em plenitude, aprenda a confiar na vida.
8.       Reserve parte do seu tempo para recuperar sua alma, tomar consciência do modo como você lida com os acontecimentos da vida.
9.       Descubra e use seus poderes para conseguir seus objetivos, de forma pacífica, calma, tranquila, persistindo até alcançar êxito.
10.    Seja voluntário em alguma organização que trabalha pela solidariedade e cooperação.

       Francisco Teixeira – International NLP Trainer, psicoterapeuta especializado em Reprogramação Mental, Educador Organizacional.